Escaravelho-de-água

Classe: Insecta | Ordem:Coleoptera | Família: Dytiscidae  

Este escaravelho aquático possui um corpo bem adaptado à vida na água, hidrodinâmico, com membros achatados e patas posteriores que funcionam como remos. Apresenta uma coloração castanha escura ou negra no corpo e amarela nas patas, à volta da cabeça e do tórax.

Os machos têm as asas brilhantes e lisas, enquanto nas fêmeas são finamente estriadas.

As larvas apresentam uma coloração acastanhada, corpo longo e a cabeça e mandíbulas são grandes.

Carpa

Família: Cyprinidae

A carpa é um peixe com corpo alongado e escamas grandes, cabeça triangular, olhos pequenos, lábios grossos e possui a boca proeminente com um barbilho em cada lado. A barbatana dorsal é longa e raiada. Possui o dorso acastanhado esverdeado, flancos dourados e ventre amarelado.

Gambúsia

Família: Poeciliidae

Peixe de pequenas dimensões,  apresenta cor cinzenta e pequenos pontos no corpo e barbatanas, possui uma mancha escura que atravessa o olho na vertical e barbatanas incolores ou amareladas.

As fêmeas têm um ventre proeminente e são maiores que os machos, enquanto estes apresentam os raios da barbatana anal mais alongados, transformando esta barbatana num órgão copulador.

Tartaruga-da-Flórida

Família: Emydidae

Os indivíduos desta espécie possuem listas avermelhadas ou amareladas na zona atrás dos olhos, a carapaça é oval e achatada em cima, o plastrão (zona ventral) é amarelo com manchas escuras e a pele é verde-oliva. Os machos são mais pequenos que as fêmeas, apresentam garras dianteiras e cauda mais longa e larga e a abertura cloacal está mais afastada do plastrão. As fêmeas são maiores, têm as garras dianteiras mais pequenas, cauda mais estreita e curta e abertura cloacal mais próxima do plastrão.

Existem 3 sub-espécies de Trachemys scripta:

– Trachemys scripta elegans (Taratruga-de-orelhas-vermelhas)

– Trachemys scripta scripta (Tartaruga-de-orelhas-amarelas)

– Trachemys scripta troosti

Rouxinol-grande-dos-caniços

Ordem: Passeriformes | Família: Sylviidae (Felosas)

Esta ave de coloração castanha e garganta esbranquiçada é uma das maiores felosas. Possui um bico poderoso, comprido, fino, direito e pontiagudo, testa íngreme e apresenta uma lista supraciliar distinta (mais evidente do que no rouxinol-pequeno-dos-caniços).

Cobra-de-água-viperina

Família Colubridae

O corpo é cilíndrico, fino, pouco comprido, coberto por escamas carenadas (com vinco central), a coloração pode ser acastanhada, amarelada, esverdeada ou acinzentada com manchas acastanhadas ou negras, formando um zigue-zague na região médio-dorsal.

O ventre é esbranquiçado, amarelado ou avermelhado com manchas negras quadrangulares.

A cabeça desta cobra destaca-se bem do corpo, apresenta 1 ou 2 manchas escuras em forma de V invertido e possui focinho curto e arredondado. Tem a pupila redonda (as víboras têm pupila vertical).

Possui 2 placas pré-oculares, 2 pós-oculares e 7 supralabiais (a 3ª e a 4ª estão em contacto com o olho).

As fêmeas são habitualmente maiores que os machos. Os machos possuem, em proporção, a cauda mais comprida do que as fêmeas. Os juvenis apresentam uma coloração mais contrastada mas o padrão é semelhante aos adultos.

Distingue-se da cobra-de-água-de-colar (Natrix natrix) pela coloração distinta, tamanho inferior e pelo número de placas pré-oculares e pós-oculares.

Cobra-de-água-de-colar

Família Colubridae

Esta cobra possui uma cabeça bem diferenciada do resto do corpo, larga, grande e arredondada na zona do focinho. O corpo é coberto por escamas com um vinco central (carena). O dorso é acinzentado, acastanhado ou verde olivácea e, frequentemente, apresenta-se com pequenas manchas escuras dispostas de forma irregular. O ventre é esbranquiçado ou acinzentado com manchas quadrangulares escuras.

Possui 1 placa pré-ocular, 3 pós-oculares e 7 supralabiais – estas últimas apresentam um rebordo negro.

As fêmeas são geralmente maiores, no entanto, os machos têm as caudas proporcionalmente mais compridas.

O nome comum da espécie deve-se à presença de um colar branco ou amarelado com rebordo negro nos indivíduos juvenis.

Lagarto-de-água

Família Lacertidae

Lagarto robusto, cauda longa, coloração dorsal variável e com escamas de garganta de rebordo arredondado e não imbricadas.

Os machos, apesar de serem mais pequenos do que as fêmeas, apresentam a cabeça e corpo mais robusto. A coloração dorsal apresenta tons esverdeados e amarelados, ponteado negro e o ventre é amarelado com pequenas manchas negras. A zona da garganta é esbranquiçada excepto durante a época reprodutiva durante a qual exibe uma coloração azul muito característica, podendo alastrar-se a toda a cabeça.

As fêmeas têm a cauda mais comprida, o dorso é esverdeado ou acastanhado com grandes manchas negras dispostas de forma irregular ou sob a forma de bandas dorsolaterais. O ventre é amarelado e sem manchas. A coloração azul da zona da garganta é menos frequente e intensa do que nos machos.

Os recém-nascidos possuem cauda amarela ou alaranjada e dorso acastanhado com manchas amareladas ou esbranquiçadas envolvidas de negro.

CHARCOScomBIO: Concurso de fotografia

Este concurso de fotografia é promovido no âmbito do projecto CHARCOScomBIO, um dos projectos vencedores do Fundo EDP para a Biodiversidade em 2009, sendo organizado pelo Centro de Biologia Ambiental, pelo Museu Nacional de História Natural e pelo Instituto Superior Técnico. Com o presente regulamento pretende a equipa do projecto CHARCOScomBIO, definir as regras do Concurso de Fotografia “Biodiversidade dos Charcos Temporários”.