Sapo-corredor

Este sapo, tal como o sapo-comum tem um aspecto robusto, pele rugosa, cabeça arredondada, mais larga que comprida e olhos relativamente grandes, proeminentes, com pupila elíptica horizontal. No entanto o sapo corredor distingue-se facilmente do sapo-comum por ser mais pequeno, ter olhos com íris amarela esverdeada e possuir frequentemente uma linha vertebral amarelada ou esbranquiçada.

A pele rugosa do sapo-corredor possui numerosas verrugas mais ou menos aplanadas acastanhadas, alaranjadas ou avermelhadas. O padrão de coloração dorsal é bastante variável, com manchas irregulares esverdeadas  sobre um fundo creme ou esbranquiçado. Zona ventral clara (esbranquiçada ou acinzentada) com manchas escuras irregulares.

Rato-de-água

Rato de tamanho grande, mais parecido com uma ratazana do que com os pequenos roedores. Tem orelhas redondas, pequenas e quase completamente cobertas de pêlo. Cauda negra, curta e cilíndrica. Pelagem espessa  de coloração cinzenta acastanhada, sendo mais clara e amarelada na zona ventral. Focinho arredondado.

Lontra

A cabeça é achatada; o focinho é arredondado e largo; o corpo é alongado e flexível; os membros e pescoço são curtos; as orelhas e olhos pequenos; a cauda é longa e vigorosa (musculada), achatada na base e afunila suavemente até à ponta. Têm membrana interdigital a unir os dedos das patas que são espalmados.

O pêlo é de cor castanha escura em quase todo o corpo, com excepção da região do ventre, que é mais clara. Esta pelagem, espessa e sedosa, é constituída por duas camadas de pêlos, a mais externa responsável pela impermeabilização e a mais interna pelo isolamento térmico.

As orelhas, as narinas e os olhos situam-se na parte superior da cabeça de modo a manterem-se fora de água quando o animal nada à superfície.

Quando mergulha, os ouvidos e as fossas nasais são fechados hermeticamente e ajusta a  curvatura do cristalino, o que lhe permite a visualização de imagens focadas dentro e fora de água.

Parceria Charcos Com Vida e Biodiversity4All

O Biodiversity4All e a campanha “Charcos com Vida” estabeleceram uma parceria que tem como objectivo a troca de informações e experiências.

O projecto BioDiversity4All – Biodiversidade para todos está a criar uma base de dados online sobre a Biodiversidade em Portugal, fundamentada na participação activa da sociedade civil e da comunidade científica.

Inventário de Charcos: 344 charcos registados e 2 charcos adoptados

Até hoje, temos 344 charcos registados no Inventário Nacional de Charcos!!! Precisamos do contributo de todos para descobrir e registar o maior número de charcos possível!!

Dois charcos foram já adoptados. O primeiro charco a ser adoptado foi o do CERVAS (Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens, estrutura gerida pela associação ALDEIA em Gouveia. Este charco foi criado em Janeiro de 2010 com o objectivo de promover a conservação da biodiversidade, nomeadamente dos anfíbios, assim como servir de ponte de comunicação e de educação ambiental a quem visite o centro, fomentando a adopção e exploração de charcos pelas diversas entidades e particulares.

Neste momento, o CERVAS já dispõe de dois charcos construídos pelos técnicos do centro e com a ajuda de alguns voluntários. A colonização dos charcos foi mais rápida do que se esperava e, após dois meses de acabarem os trabalhos, confirmou-se, além das diversas plantas aquáticas e invertebrados que aí se instalaram, a presença de quatro espécies de anfíbios: salamandra-de-pintas-amarelas (Salamandra salamandra), tritão-marmorado (Triturus marmoratus), tritão-de-ventre-laranja (Triturus boscai) e rã-ibérica (Rana iberica); do grupo dos répteis confirmou-se a cobra-de-pernas-tridáctila (Chalcides striatus) e o licranço (Anguis fragilis). Além destes grupos foram observadas várias espécies de aves, entre as quais a alvéola-cinzenta (Motacilla cinerea) , a alvéola-branca (Motacilla alba) , a carriça (Troglodytes troglodytes) e o pintassilgo (Carduelis carduelis).

Com este charco o CERVAS tem mais uma ferramenta de trabalho que permite desenvolver algumas actividades didácticas e lúdicas para que os visitantes, técnicos, estagiários e voluntários do CERVAS conheçam e percebam a dinâmica das relações biológicas entre os diversos seres vivos que colonizam o charco.

“Charcos com Vida” recebe vista de 60 alunos no Parque da Cidade do Porto

No dia 16 de Dezembro, perto de 60 alunos das escolas do Agrupamento Educativo de Sobreira (EB1 de Aguiar e EB1 de Santa Comba) participaram numa visita guiada pelo CIBIO-Div ao Parque da Cidade do Porto, no âmbito do projecto “Charcos com Vida”, durante a qual tiveram a oportunidade de visitar alguns dos charcos e tanques aí existentes assim como participar no jogo pedagógico “Na pele de um anfíbio: chamamentos”.

Exposição “”Anfíbios: uma pata na água, outra na terra” em V.N. de Gaia

A exposição “Anfíbios: uma pata na água, outra na terra” está agora patente no Parque Biológico de Gaia, até 15 de Janeiro.

A não perder!

Finalmente o FÓRUM dos CHARCOS ganha VIDA!

Está já a funcionar o Fórum dos CHARCOS COM VIDA e convida-se todos a participarem, partilhando dúvidas, esclarecimentos, informações, fotografias e muito mais.

Inventário de charcos – nivel I | Ciências Naturais

Nesta actividade é solicitado a todos os participantes para compilarem as informações conhecidas ou recolhidas em visitas de campo, junto dos seus familiares ou habitantes da região sobre a localização charcos. Serão também usadas ferramentas informáticas para localizar os charcos e contribuir para o seu inventário nacional.

>>> Descarregar Ficha do Professor

>>> Descarregar Ficha do Aluno

Inventário de charcos – nível I | Ciências Naturais

Nesta actividade é solicitado a todos os participantes para compilarem as informações conhecidas ou recolhidas em visitas de campo, junto dos seus familiares ou habitantes da região sobre a localização charcos. Serão também usadas ferramentas informáticas para localizar os charcos e contribuir para o seu inventário nacional.

>>> Descarregar Ficha do Professor

>>> Descarregar Ficha de Aluno